Óleo de coco

Algumas meninas pediram para falar sobre o óleo de coco. E vocês sabem como fico animada quando o assunto é óleo vegetal.

Por ser rico em vitamina E e ácidos graxos, o óleo de coco fortalece e hidrata profundamente os fios (é um dos poucos óleos que consegue penetrar na cutícula do cabelo).

Quando for comprá-lo, certifique-se de que é virgem, ou seja, foi extraído sem nenhum processo de refinamento e não foi misturado com outro tipo de óleo. Na embalagem deve estar escrito “prensado a frio”.

Outro detalhe importante: experimente o óleo antes de usá-lo. O óleo virgem deve ter o sabor e o aroma do coco. Se sentir algum amargor ou se o cheiro não for agradável, é sinal de que o óleo está rançoso. Neste caso, troque o óleo no estabelecimento onde comprou.

Dependendo da região que você mora, o óleo de coco pode estar solidificado; fica branquinho, parecido com a banha. Isto ocorre porque ele endurece em temperaturas abaixo de 22 graus (acho mais gostoso usá-lo quando está assim, porque fica parecido com um creme).

Óleo de coco solidificado

Como uso o óleo

O óleo de coco é um dos meus preferidos, junto com o de oliva e o de abacate, para hidratar os crespinhos naturais. A diferença é que com o uso constante, percebi que o óleo de oliva dá um efeito incrível quando usado quente (como expliquei neste post aqui).  Já o óleo de coco funciona muito bem para passar todo dia.

Sim, dá para passar o óleo todo dia sem que o cabelo fique oleoso. O segredo é a quantidade. Passo o equivalente a uma colher de chá. Esfrego o óleo entre as mãos e passo por todo o cabelo.

Se você tiver muito cabelo, pode passar mais um pouco. Para não errar, o melhor “método” é usar o dedo indicador. Você vai encostar levemente o dedo no óleo (falei encostar e não mergulhar o dedo).

A quantidade de óleo que ficar na ponta do dedo, você vai esfregar entre as mãos e passar no cabelo começando pela parte da frente. Repita o processo, até passar em todo o cabelo. Esta é a melhor forma para descobrir a quantidade certa para a sua cabeleira.

Se o óleo estiver sólido, use uma colher de chá. Comece com meia colher e vá passando mais, conforme a necessidade.

Você vai perceber que o óleo de coco é absorvido rapidamente pelo cabelo, as mãos não ficam oleosas (se ficarem é porque está passando demais).

Este ritual pode ser feito antes de dormir (assim acordará com o cabelo mais maleável) ou de manhã (depois que umedecer os fios, passe o óleo de coco e, em seguida, o leave-in).

Assim que você passar o óleo no cabelo, vai sentir um cheiro forte de cocada, mas não se assuste, o cheiro desaparece depois que passar o leave-in.

Quem tem cabelo muito crespo (meu caso) ou carapinha vai notar como os fios ficam muito mais maleáveis e fáceis de lidar. E como o ressecamento vai diminuir visivelmente.

Já as meninas que estão em fase de transição, devem ter cuidado redobrado ao usar o óleo, porque como o cabelo está com duas texturas diferentes, a parte alisada pode ficar oleosa.

Experimente usar o óleo de coco no tratamento de óleo quente. Fica muito bom quando misturado com o azeite (use 50% de cada um).

Uma dica para as mamães: o óleo de coco é excelente para o cabelinho das crianças, especialmente após as lavagens. Como é natural, pode ser usado em crianças de todas as idades.

Mais  uma dica: o óleo de coco não é bom só para o cabelo, ele também faz muito bem à nossa saúde. Você pode usá-lo para cozinhar os alimentos ou tomá-lo puro (cerca de duas colheres de sobremesa por dia). Ele fortalece o sistema imunológico e diminui o colesterol, entre outros benefícios.

Como na embalagem vem bastante óleo (cerca de 200 ml, o vidro pequeno), separo em um pote menor uma boa quantidade para o cabelo, e o resto que fica no vidro fica para uso culinário.  Gosto do da marca Copra e da Dr. Orgânico (óleo excelente, importado da Filipinas).

Tratamento com óleo quente

Vocês já conhecem a minha paixão pelos óleos vegetais.  Sempre fico impressionada como realmente eles melhoram a qualidade do cabelo crespo natural. Por isso, meninas, vale a pena experimentar esta receita.  

Este tratamento com óleo quente é feito com azeite de oliva e é excelente para quem tem cabelo carapinha ou muito crespo.

O que ele faz

– repara a cutícula e a restaura a maciez dos fios

– reduz o frizz

– controla as pontas duplas

– melhora a textura do cabelo

– fortalece os fios

Quem tem cabelo crespo mais maleável ou está na fase de transição do alisado para o crespo pode usar? Pode, mas reduza a quantidade de óleo da receita, ok ?

A receita

– ¼ de xícara de azeite de oliva extra virgem (para quem tem cabelo curto) ou ½ xícara para as meninas que tem muito cabelo ou cabelo comprido.

– 1 ampola de vitamina E

Em uma pequena vasilha, coloque o óleo e a ampola de vitamina E. Misture tudo e, em seguida, aqueça lentamente o azeite em banho-maria.  

Como sei que tem meninas entre 11 e 12 anos que leem o blog, acho melhor explicar o que é banho-maria: você vai pegar uma panela de tamanho médio, colocar mais ou menos um litro, um litro e meio de água e levar ao fogo.

Quando a água começar a ferver, você coloca a vasilha com o óleo dentro da panela (não se preocupe porque a vasilha não vai afundar). Como é só para aquecer rapidamente o óleo, prefiro desligar o fogo e depois coloco a vasilha com o óleo. São apenas alguns segundos.

Cuidado para não aquecer demais o óleo. Ele deve ficar com uma temperatura agradável; você vai colocar os dedos e sentir o óleo morninho.   

Mais uma coisa: não utilize vasilhas plásticas porque podem derreter com o calor da água fervida! Criança e fogo não combinam, por isso peçam ajuda para sua mãe ou algum adulto.

Voltando a receita: passe o óleo aquecido por todo o cabelo úmido. Massageie o couro cabeludo e deixe o azeite agir por 15 minutos. Depois enxágüe e lave os cabelos normalmente com xampu, depois o condicionador. Para finalizar, passe o leave-in.

Deixe o cabelo secar naturalmente.  

Você pode fazer o tratamento uma vez por semana, se o seu cabelo estiver muito danificado, ou a cada 15 dias.

Mais um lembrete: para a receita funcionar bem, tem que ser azeite extra virgem extraído a frio, sem mistura de outro óleo (leia o rótulo!).  É um pouco mais caro, mas é um excelente investimento. Eu uso o azeite da marca Native, que custa R$ 21 e ainda é orgânico.  Quem mora em São Paulo pode encontrá-lo no Pão de Açúcar.

Como controlar os fios arrepiados

Você pode não acreditar, mas os fios arrepiados (ou frizz) existem desde que existe o cabelo crespo. Isto acontece porque o formato dos fios, em espiral ou zigue-zague, dificulta o processo de hidratação natural dos crespinhos da raiz às pontas.

O resultado nós conhecemos muito bem: o ressecamento dos fios. E é justamente nos cabelos ressecados ou danificados (fios quebrados ou com pontas duplas), que ocorre o frizz.  Por quê?

A cutícula, uma espécie de “pele” que cobre toda a extensão do fio, é formada por uma série de escamas sobrepostas que protegem a estrutura capilar. Quando o cabelo está danificado, as escamas da cutícula se erguem (ou como alguns cabeleireiros dizem “ficam abertas”) provocando o arrepiado.  

Cutícula capilar saudável

Cutícula capilar danificada

O que mais pode provocar o frizz?

Umidade: Tenho que dizer que a umidade ama cabelo ressecado, quanto mais ressecado estiver seu cabelo, mais a umidade irá danificá-lo.  A umidade nada mais é do que minúsculas gotículas de água na atmosfera, ou seja, é quando o ar está impregnado de vapor de água. Quando esta umidade entra em contato com a superfície ressecada do fio (as cutículas abertas) o resultado é o frizz.

Excesso de xampu: Lavar os cabelos  todos os dias ou passar xampu em excesso provoca o ressecamento dos fios. Se o cabelo crespo já tem tendência ao ressecamento, você pode imaginar o que a lavagem excessiva pode fazer. Por isso, modere na quantidade de xampu e lave os cabelos crespos no máximo duas vezes por semana. E sempre que lavar, hidratação profunda para recuperar a umidade dos fios.

Química: quem tem cabelo alisado, relaxado ou com tintura também tem grande probabilidade de ter frizz. Os tratamentos químicos abrem a cutícula capilar provocando o ressecamento e a quebra dos fios e, como conseqüência, o arrepiado.

Chapinha, secador e babyliss: o calor em excesso desgasta a cutícula, deixando os fios ressecados e desidratados.

Falta de um bom corte: quando seu cabelo está hidratado e mesmo assim os fios arrepiados insistem em aparecer, isto pode ser sinal de que chegou a hora de aparar os fios ou dar um bom corte.  Lembre-se: pontas duplas e ressecadas também provocam frizz.

Passar as mãos toda hora nos cabelos: muitas meninas tem o hábito de ficar torcendo, esticando e alisando os crespinhos. Se você quer evitar o frizz, e fios embaraçados, mantenha as mãos longe dos cabelos, especialmente depois que umedeceu e passou o leave-in.  

O frizz sob controle

– Hidratação sempre: condicionadores e máscaras hidratantes ajudam a fechar as cutículas e ainda nutrem os fios. (A máscara intensiva da linha Natura Plant garante bons resultados).

– A escolha certa do xampu: os melhores xampus para cabelos crespos naturais e os alisados ou relaxados são os produtos para cabelos quimicamente tratados. Um detalhe importante: use mais o xampu no couro cabeludo do que nos fios. E o condicionador aplique nas pontas, e não no couro cabeludo. (Gosto muito dos xampus da Avlon e da Pantene)

Evite toalha de algodão: o melhor é usar a toalha de microfibra ou papel toalha.

Use lenço de seda: as fronhas de algodão absorvem a oleosidade natural dos fios. Se você mora em uma região que faz muito calor, e acha que o lenço vai esquentar demais sua cabeça, coloque o lenço de seda sobre o travesseiro, por cima da fronha.    

Reduza o uso do secador ou chapinha: quanto tiver que usá-los, proteja o cabelo com produtos termoativados.

Silicone, serum e pomadas: elas ajudam a controlar o frizz, mas devem ser usadas com muita moderação. Lembre-se de que estes produtos não hidratam o cabelo, apenas criam uma camada que dá brilho e controla o arrepiado. O ideal é aplicá-los depois do leave-in. (Recentemente experimentei o Secret Weapon do John Frieda, dá para aplicá-lo no cabelo úmido ou seco).

Penteie os cabelos com delicadeza: cabelos crespos devem ser penteados e desembaraçados úmidos, nunca a seco. Assim você evita a quebra dos fios.

Dicas para desembaraçar o cabelo crespo

Sei que muitas meninas já sabem como manter seus crespinhos desembaraçados e livres de nós. Mas decidi fazer este post depois que vi uma das minhas irmãs tentando dar uma “organizada” num enorme emaranhado de fios. Como queria fazer algumas “experiências” no cabelo dela, concordei em desembaraçá-lo.  

O cabelo crespo embaraça facilmente por causa do formato dos fios (alguns tem forma de espiral, outros de ziguezague). Estes fios vão entrelaçando-se uns aos outros, até formar um emaranhado.

Quando o cabelo crespo natural está curto, é mais fácil desembaraçá-lo, mas conforme vai crescendo (no comprimento e no volume), é preciso tomar muito cuidado para que durante o processo os fios não se quebrem.

Uma das maiores agressões que você pode fazer com seu cabelo é tentar desembaraçá-lo quando estiver seco. Por isso, umedeça-o muito bem antes de começar o processo.

Sempre desembaraço meu cabelo durante as lavagens. Depois de passar o xampu e retirar todas as impurezas, passo um pouco de condicionador e divido o cabelo em oito mechas (você pode dividir em mais partes se quiser).

Em cada mecha faço o seguinte: repasso mais condicionador e passo primeiro os dedos para soltar bem os fios. Em seguida, penteio várias vezes com um pente de dentes largos. Quando sinto que o pente desliza da raiz às pontas facilmente, passo um pente com dentes um pouco mais estreitos.

Repito esta operação em todas as mechas.  Nunca puxe com força os fios. Se tiver nós nas pontas, coloque mais condicionador nesta região e com os dedos vá desfazendo o nó, e passe o pente em seguida.

Conforme vai penteando o cabelo, você vai notar que o pente vai ficar cheio de fios. Não se assuste.  Lembre-se de que está removendo os fios que caíram naturalmente durante a semana.

Depois que desembaracei as mechas, penteio todo o cabelo em uma mesma direção, enxáguo, retiro um pouco do excesso da água e passo leave-in.

Quando faço hidratação mais profunda, prefiro desembaraçar minutos antes de retirar a máscara.

O segredo de um cabelo perfeito

Oprah Winfrey e Andre Walker

No site da O Magazine, revista da apresentadora Oprah Winfrey, li uma pequena entrevista com o cabeleireiro americano Andre Walker. Além de ser um dos profissionais mais respeitados dos Estados Unidos, ele cuida do cabelo da Oprah há mais de 25 anos.

A apresentadora faz questão de afirmar que graças aos cuidados de Andre, ela conseguiu manter seu cabelo saudável após tantos anos de secador, chapinha, e extensões.

As dicas do cabeleireiro são úteis para as meninas que tratam o cabelo com química e gostam de manter os fios super lisos.

OM: Quais são as três coisas que devemos fazer para ter um cabelo bonito?

Andre: Hidratar. Hidratar. Hidratar. Mesmo que você ache que não precise, passe condicionador toda vez que lavar os cabelos e aplique uma máscara bem cremosa uma vez por semana. Recuperar a umidade dos fios é essencial para ajudar a reparar pontas secas, além de dar brilho.  

OM: E o que nunca devemos fazer?

Andre: Não acredito que você possa fazer dois tratamentos químicos de uma vez e ainda ter um cabelo saudável.  Se estou relaxando o cabelo, não uso tintura. E se pinto o cabelo, não relaxo.

Como o calor também é muito prejudicial aos fios, tento não usar secador ou chapinha no cabelo da Oprah mais do que três vezes por semana. Ultimamente, para diminuir o uso do secador, tenho feito rabo-de-cavalo. Um rabo de cavalo no alto da cabeça pode ser muito elegante.

Limpeza profunda = crespinho saudável

Embora os cabeleireiros sempre recomendem lavar os cabelos com xampus antiresíduos pelo menos uma vez por semana, sempre tive dificuldade de encontrar um produto que não deixasse meu cabelo tão ressecado.

Por este motivo, estou sempre experimentado diferentes xampus, em busca de uma fórmula que não contenha detergentes muito fortes e, com isso, não agrida os fios.

Para evitar o ressecamento, logo após a lavagem faço uma hidratação para devolver a oleosidade natural que foi removida pelo xampu.

Recentemente experimentei duas receitas naturais que limparam profundamente os fios. Sei que algumas meninas são adeptas do no-poo (lavagem sem xampu), e evitam ao máximo produtos que contenham ingredientes que prejudiquem os crespinhos.

Estas duas receitas caseiras são feitas com produtos naturais que além de limpar vão tratar o couro cabeludo e manter a oleosidade natural dos fios. Vale a pena experimentar!

 

Primeira receita

– 2 copos de água morna

– ½ copo de suco de limão

Misture os ingredientes e depois de ter lavado o cabelo, despeje aos poucos a mistura, distribuindo por toda a cabeça. Massageie levemente e deixe agir por 10 minutos. Enxágue bem e em seguida passe o condicionador.

Duas observações:

– Esta receita não vai funcionar muito bem se você costuma usar com frequência produtos à base de petróleo (óleos minerais, pomadas pesadas). Eles criam uma camada envolta dos fios difíceis de serem removidas. Na verdade, o ideal é evitar estes produtos, porque entopem o folículo capilar.

– Lembre-se de que limão e sol não combinam.

 

Segunda receita

– 1 xícara de vinagre de maçã

– 1 xícara de água

Misture os dois ingredientes e depois de ter lavado o cabelo, despeje a mistura. Certifique-se que todo o cabelo recebeu o líquido. Deixe agir por três minutos e enxágüe com água fria. Evite contato com os olhos.

O vinagre de maçã é muito bom para remover resíduos de produtos pesados como as pomadas, que deixam o cabelo com aspecto pesado e sem vida. Também é ótimo para retirar o excesso de oleosidade do couro cabeludo.

Máscara hidratante da Éh Cosméticos

Sempre via os produtos da Éh nos supermercados e nas farmácias, mas não tinha coragem de comprar. Até que duas semanas atrás decidi investir na Máscara Hidratante Cashmere e Absoluto de Coco para cabelos ressecados (paguei R$ 11).

O que chamou atenção? É um produto totalmente orgânico, que contém óleos naturais, sem ingredientes a base de petróleo e com ativos vegetais.

Lavei os cabelos, passei a máscara e deixei agir por 20 minutos.  A primeira coisa que me incomodou foi o cheiro forte adocicado. Gosto de produto com aroma mais suave.

Depois do enxágue, quando passava as mãos nos cabelos, senti que ficaram macios. Deixei os fios secarem naturalmente, mas percebi que não ficaram muito hidratados.

Usei a máscara mais uma vez e ainda fiz a minha irmã de cobaia, também pedi que experimentasse o produto. O resultado também foi o mesmo: a hidratação não foi tão profunda. Como sei? Quando passo uma máscara que realmente hidrata, meu cabelo forma os cachos, mesmo sem aplicar o leave in.  

Como cada cabelo pode reagir de um jeito diferente em relação aos produtos (às vezes pode funcionar bem para cabelos lisos e não para crespos), gostaria de saber se alguém mais já experimentou esta máscara e o que achou.

Cabelo crespo com química

Tenho recebido alguns e-mails de meninas que passaram por algum tipo de processo químico e estão com os cabelos danificados.

Primeiro, gostaria de dividir com vocês o que penso sobre alisamento. Embora hoje use o meu cabelo natural, alisei e relaxei os fios durante muitos anos. O que me incomoda não é o alisamento em si, mas o motivo que nos leva a mudar de crespo para liso.

Hoje percebo, claramente, que no meu caso foi porque não sabia como lidar com o meu cabelo crespo. Na época em que era adolescente não existia leave-in (socorro!) e muito menos produtos especiais para cabelo crespo.

Para vocês terem uma idéia, nas prateleiras dos supermercados só encontrávamos xampus e condicionadores para cabelos secos, normais e oleosos.

Depois de lavar e condicionar os fios, o que me restava? Passar Óleo de Lavanda Bourbon, trançar ou fazer rabo de cavalo. Cabelo solto? Só passando chapinha.

A falta de informação e de produtos acabaram me levando para química. A primeira vez que fiz o alisamento foi incrível. Meu cabelo balançava e brilhava como em um comercial de xampu. Cheguei em casa, fui direto para o espelho e jogava os cabelos prá lá e prá cá. Era fascinante descobrir o que era ter o cabelo liso.

Mas não gostava do meu visual com aquele cabelo lambido, por isso passei a enrolar os cabelos e, com o tempo, à noite fazia trancinhas e soltava de manhã. Ele ficava todo frisado.

Com o passar dos anos, e a falta de tratamento adequado, os cabelos começaram a enfraquecer.  Aí descobri que também não sabia como lidar com os cabelos alisados. Para completar, passei por um alisamento que queimou todo meu couro cabeludo.  Tive que fazer tratamento durante um ano e um corte radical.

Depois disso, ainda passei por vários processos químicos, fui me informando cada vez mais, não ia a qualquer salão e fazia tratamentos em casa. No salão, meu comportamento mudou. Em vez de entrar muda e sair calada, passei a questionar a cabeleireira sobre tudo (que produto é esse? O que faz? O que você vai colocar no meu cabelo? O que faço para hidratar o cabelo em casa?). Um verdadeiro interrogatório.

Com isso aprendi que o alisamento deve ser uma escolha consciente. Algumas meninas veem a química como o caminho mais fácil. Posso dizer para você que ela não é.

O processo químico muda completamente a estrutura e a textura do cabelo crespo. Para saber qual química deve escolher é preciso passar por uma avaliação profissional.  O cabeleireiro vai analisar seu tipo de cabelo, fazer testes e definir o que é melhor para você.

Se for a um salão e o cabeleireiro quiser fazer a química na hora, saia correndo. Vai ser uma roubada. Antes de qualquer processo químico, é preciso preparar os fios, passar por um período de hidratação e recuperação dos cabelos.

Nomes para guardar

Os princípios ativos mais utilizados para mudar a estrutura dos cabelos são:

– Hidróxido de Cálcio

– Hidróxido de Sódio

– Hidróxido de Guanidina

– Tioglicolato de Amônia

A maioria dos produtos são incompatíveis entre si. Por este motivo, se você já tem química nos cabelos e quer partir para outro tipo de alisamento, relaxamento ou permanente afro, a base do produto precisa ser a mesma. Caso contrário, terá que cortar os cabelos para retirar toda a química anterior.

Outro ponto importante: após o alisamento é fundamental receber orientação para cuidar do cabelo em casa, quais produtos utilizar e o passo a passo da rotina diária.  Se quer ter um cabelo bonito e saudável, precisa de muita disciplina.

Vou fazer mais posts para esclarecer este assunto, detalhando cada tipo de alisamento. Quanto mais você souber, mais segurança terá para avaliar se está nas mãos de um bom profissional.

Dúvida sobre ingredientes dos xampus

A Priscila Gama, de Minas Gerais, levantou uma questão muito importante em relação ao post sobre lavagem e condicionamento dos fios: como saber se o xampu tem detergente?

Diante desta questão e de outras dúvidas que podem ter surgido em relação ao xampu, decidi dar uma aprofundada no assunto.

Para fazer o raio-x do xampu, conversei com Cristina Bentivenha, farmacêutica com especialização em cosmetologia.

A maioria dos xampus tem detergente na sua composição, porque ele é o responsável pela retirada de gordura dos fios. Para identificar se seu xampu tem detergente, você vai procurar pela palavra Lauril (como ele é chamado tecnicamente). 

Existem diferentes tipos de Lauril (por exemplo, Lauril sulfato de sódio, Lauril éter sulfato de sódio), e diferentes concentrações do produto (que pode deixar o xampu mais ou menos agressivo aos fios).

Outros ingredientes encontrados nas fórmulas de xampus:

– Dietanolamida de ácido graxo de coco: devolvem a oleosidade natural dos fios.

– Princípios ativos: substâncias responsáveis por determinadas ações terapêuticas (lanolina, queratina, aloe vera, algas marinhas, etc.)

– Água

– Conservantes

– Sal (pode ter ou não)

– Poliquaternios: agentes condicionadores, que deixam o cabelo macio.

Estes itens são os ingredientes básicos para se fazer xampu. A partir desta base, as empresas vão incrementando as fórmulas.

Quanto mais ativos, mais elaborado é o xampu, mais vitaminas e ingredientes que deixarão os cabelos saudáveis.

Algumas marcas, como a Éh e a Natura, tem linhas de xampus e condicionadores sem detergentes.  Nesta semana vou experimentar primeiro o xampu Cacau com Leite de Avelã (é para cabelos crespos) da Éh e depois conto o resultado para vocês.

Agora, é ficar de olho no rótulo para saber o que você está levando para casa.

Como lavar e condicionar cabelos crespos

Tenho falado bastante sobre a importância da hidratação e como hidratar o nosso tipo de cabelo.  Mas existem dois fatores que também são fundamentais para que o cabelo crespo fique bonito e hidratado: a lavagem e o condicionamento dos fios.

A primeira coisa que você deve levar em consideração na hora de escolher o xampu é se ele contém ingredientes que vão ressecar os fios, como sal e detergentes. Se puder, dê preferência aos produtos orgânicos e com ingredientes desembaraçantes.

Quem tem os fios naturais pode usar xampus para quem tem os cabelos quimicamente tratados. Atualmente estou testando o Shampoo Hidratante Desembaraçante da Avlon. É muito bom, meu cabelo fica macio e soltinho, preparado para receber o condicionador.

 

Como lavar?  

– Use pouca quantidade de xampu. Como o nosso cabelo já tem tendência ao ressecamento, o excesso de produto retira a oleosidade natural do couro cabeludo.

– Distribua o xampu massageando delicadamente o couro cabeludo. Enxágue e repita a operação.

Embora dê vontade de lavar os cabelos todos os dias, por causa do excesso de leave-in e outros produtos que utilizamos, o ideal é lavar os fios de uma a duas vezes por semana. Mas com a chegada do verão, quem agüenta?

Aprendi um “truque”, lendo o  livro do cabeleireiro americano Antony Dickey, que tem me ajudado muito.

Quando sinto necessidade de retirar o excesso de produtos, lavo o meu cabelo apenas com água quente. Enquanto a água vai caindo, com as pontas dos dedos massageio o couro cabeludo (para estimular a irrigação) e ao mesmo tempo vou retirando os resíduos dos produtos.

O segredo é “enxaguar” os fios até sentir que estão limpos. Quando chegar neste ponto, os cabelos estão perfeitos para serem condicionados.

 

O condicionador

O condicionador é um produto que você pode usar e abusar. Distribua uma quantidade generosa nos fios (generosa mesmo!). Esta é a hora para desembaraçar o cabelo. Você pode usar um pente de dentes largos ou as pontas dos dedos.

Depois de desembaraçar, passe os dedos entre os fios até sentir que todas as mechas estão soltinhas, maleáveis. Se você não tem ideia sobre qual tipo de crespo é o seu cabelo, este é o momento certo para observar o desenho dos fios. Como estão super maleáveis dá para ver bem textura.

Como retirar o condicionador também é importante. Você vai enxaguar até sentir que o cabelo está macio e solto, sem passar os dedos entre os fios nem penteá-los, para não desfazer o “desenho” dos crespinhos.

Retire o excesso de água sem esfregar a toalha (senão os fios ficarão arrepiados), apenas encostando-a nos fios e apertando-a suavemente. Os cabelos devem ficar bem úmidos.

Em seguida, passe o leave-in, também sem enfiar os dedos nos cabelos. Você vai colocar uma quantidade, espalhar nas palmas das mãos e passar no cabelo amassando os crespinhos.